CAMPEONATO PARAIBANO DE BEACH TENNIS
Inscrições ->https://LetzPlay.me/t/5689

⏰Chegou a hora. A Federação de Beach Tennis da Paraíba e a Confederação Brasileira de Beach Tennis anunciam o primeiro #paraibanodebeachtennis – nos dias 01, 02, 03 e 04 de setembro, na @arenaparkjp em João Pessoa.

🟢 O torneio marca a pontuação do ranking Paraibano e a organização do esporte na paraíba. Serão 25 categorias em disputa com chaves previamente limitadas – nos níveis PRO; A; B; C e D. Além das categorias por faixa etária. 

🟡 As inscrições serão abertas nesta quarta-feira, 27 de julho, a partir das 23h, no #LetzPlay – onde será divulgado todo o regulamento da CBBT para o torneio. 

🔴 Atenção para a restrição prévia das vagas e formação da lista de espera na Lezplay. 

🔵 Agradecemos a todos que acreditam e investem no crescimento do Beach Tennis e, por isso, estão ao nosso lado desde o lançamento do @circuitodasestacoesjp. Juntos escreveremos uma grande história para o esporte na Paraíba.

HISTÓRIA DO “BT”: Como surgiu o Beach Tennis no Brasil? 

O Beach Tennis é um dos esportes que mais cresce no Brasil segundo a Confederação Brasileira de Beach Tennis.Mais da metade dos estados brasileiros estão se estruturando com formações de federações de Beach Tennis como o estado da Paraíba, que acaba de criar a FBTPB (Federação de Bach Tennis da Paraíba). 

O Beach Tennis apresenta uma junção de algumas modalidades como o tênis de campo, vôlei de praia e o frescobol, que serviram de base para que o esporte fosse criado após alguns incrementos nas regras, dimensões da quadra e no terreno de jogo. 

O Beach Tennis teve início nas praias italianas em meados da década de 1970, sem regras definidas e com quadras delimitadas por linhas e/ou redes. As primeiras competições registradas foram organizadas sem regras universais, até que em 1996 a modalidade apareceu de forma mais organizada, com quadras em dimensões fixas de 16 por oito metros, e uma rede de 170 centímetros de altura dividindo os lados.

Atualmente, o esporte é praticado em praias, academias, clubes e parques, não se restringindo apenas às cidades litorâneas.

Referência:

GUIDUCCI, Adriano; DANAILOF, Katia; ARONI, André Luis. Beach Tennis: a opinião de professores e atletas sobre a modalidade. Coleção Pesquisa em Educação Física, Várzea Paulista, v. 18, n. 1, p. 25-32, 2019.

BEACH TENNIS QUEIMA 600 CALORIAS POR HORA E FORTALECE O CORPO TODO

Criado na Itália na década de 1980, o beach tennis (ou tênis de praia) chegou ao Brasil por volta de 2008 e vem ganhando cada vez mais adeptos. Segundo Jorge Bierrenbach Senra Junior, vice-presidente da CBBT (Confederação Brasileira de Beach Tennis), o número de atletas cadastrados na entidade aumentou 50% nos últimos três meses e estima-se que hoje existam mais de 200.000 praticantes no país. “A busca pelo esporte é imensa e cresce diariamente, mesmo com a pandemia”, afirma.

Falando no coronavírus, o fato de esse esporte —que pode ser jogado sozinho ou em dupla— ser realizado ao ar livre e não ter contato físico entre os jogadores fez com que muita gente aderisse à modalidade para combater o sedentarismo sem se um grande risco de contrair covid-19. E não pense que o beach tennis é uma boa opção apenas para quem está no litoral. Em algumas cidades afastadas da praia, como São Paulo, é possível praticar a modalidade em clubes e também encontrar quadras para alugar..

– Alto gasto calórico A modalidade exige movimentação intensa dentro da quadra, o que proporciona uma grande queima de calorias. O gasto energético no beach tennis é turbinado pelo fato de o esporte ser praticado na areia fofa, que exige bastante esforço da musculatura das pernas quando o atleta se locomove. Estima-se que em uma hora de jogo o consumo calórico médio seja de 600 calorias.

– Fortalecimento muscular Todos os grupos musculares são muito exigidos durante as partidas, mas o destaque fica para as pernas, já que elas precisam trabalhar bastante no momento de correr para pegar a bolinha. Missão que fica ainda mais complicada por causa da areia. A instabilidade gerada pelo solo macio faz com que você recrute bastante os músculos do core (região formada pelo abdome, pela lombar e pelo quadril) para manter o equilíbrio e o corpo estável. Já braços e ombros são trabalhados nas raquetas. “É importante ressaltar que, devido à grande exigência muscular proporcionada pela areia, quem está muito acima do peso ou fora de forma precisa pegar leve no início, para evitar sofrer com muitas dores ou lesôes”

– Baixo impacto nas articulações Mais uma vantagem proporcionada pelo solo macio da quadra, que ajuda a amortecer as passadas e as aterrissagens dos saltos, reduzindo a carga nos tornozelos, joelhos e quadril.

– Aumento do foco e da concentração O atleta precisa se manter o tempo todo ligado para acompanhar as jogadas do oponente e se preparar para rebater a bolinha, desenvolvendo essas duas capacidades.

– Ganho de agilidade e coordenação motora Durante o jogo é preciso se movimentar rapidamente, além de ter muita coordenação motora para equilibrar os movimentos dos membros superiores e inferiores e bater adequadamente na bolinha com a raquete.

– Melhora do condicionamento aeróbico Muito fôlego, explosão e resistência são exigidos, pois o atleta se movimenta bastante pela quadra e ainda precisa de bastante explosão para dar as raquetadas e saltar, quando necessário.

– Redução do estresse Além de liberar endorfina, um neurotransmissor ligado ao bem-estar, o que acontece com as atividades físicas em geral, a modalidade é divertida e favorece a socialização.

– Pode ser feito por pessoas de todas as idades “Trata-se de um esporte fácil de aprender e jogar, que é muito agregador. Na mesma quadra em que estão atletas de 8, 9, 10 anos, encontramos jogadores de 70 anos, por exemplo. Muitas vezes, a família toda fica envolvida nas competições”, diz Jeferson Pinto, coordenador de beach tennis da CBT (Confederação Brasileira de Tênis).

Matéria escrita por VivaBemUol

PARA ESQUECER CONFUSÃO DA CIDADE

Em todo o mundo há algo em torno de um milhão e meio de atletas. No Brasil, inscritos na Confederação Brasileira de Beach Tennis (CBBT), existem aproximadamente 200 mil jogadores. Quanto aos espaços para a prática, em todo o estado de São Paulo, há 700 quadras de beach tennis. Na capital, há mais de 250. “Só em agosto, foram abertas setenta quadras de beach tennis na cidade”, afirma Jorge Bierrenbach, diretor executivo da CBBT e supervisor da IFBT na América do Sul. O dirigente conta que a entidade tem dezessete federações espalhadas pelo País e que o campeonato brasileiro da modalidade vai acontecer entre os dias 2 e 5 de dezembro, em Porto Seguro, na Bahia. “O Brasil é uma potência em beach tennis e, no ano que vem, teremos, pelo menos cem torneios”, diz.

Matéria escrita por ISTOÉ

ENTENDA COMO O ESPORTE CRESCEU!

Uma raquete, uma bolinha e uma rede, poderiamos estar aqui falando sobre o Tennis mas tem um esporte parecido que esta bombando no Brasil, o Beach Tennis !

O objetivo é o mesmo, a principal diferença é o piso de areia. Durante a pandemia da Covid-19, o Beach Tennis invadiu não só as praias, mas tambem as cidades, para ter uma ideia dessa febre em 2020 em São Paulo haviam cerca de 300 quadras, hoje em 2022 são mais de 1500 quadra!

Veja o Video completo no canal da ESPN.
Clique Aqui.